Ir para conteúdo [1]

Ir para menu [2]

Ir para fim da página [f]

Acesso aos links do Governo Estadual

Início do Conteúdo

Início da página

Início do Conteúdo

Sobre a Campanha

Campanha do Agasalho do Governo de SP arrecada mais de 4 milhões de roupas em 2023

Fundo Social de São Paulo enviou doações para municípios do interior, litoral, regiões metropolitanas e entidades assistenciais da capital

A Campanha do Agasalho 2023 do Governo de SP chega ao fim com a arrecadação de 610 mil cobertores e 4,4 milhões de peças de vestuário como agasalhos, toucas, meias e cachecóis. Os números registrados pelo Fundo Social de São Paulo representam um aumento de 26% e 19%, respectivamente, em relação às doações do ano passado. A ação foi encerrada com o fim do inverno, nesta sexta-feira, 22 de setembro.

“É nosso compromisso conjunto tornar o estado de São Paulo um lugar onde a solidariedade e a responsabilidade compartilhada se destaquem como valores fundamentais. Essa demonstração de confiança nos impulsiona a continuar trabalhando para devolver a dignidade, principalmente, a todas as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social”, afirmou a primeira-dama do Estado, Cristiane Freitas.

Parte das doações já foi enviada a municípios em todo o território paulista para atendimento a famílias vulneráveis. Já nas arrecadações dos fundos municipais parceiros do Governo de São Paulo, as doações são distribuídas pelas próprias prefeituras. Neste ano, a campanha teve a participação de 459 cidades.

Na capital, o Fundo Social do Governo do Estado destinou a arrecadação para 61 entidades que atendem famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

A campanha recebeu também doações por transferências bancárias que somaram R$ 286 mil, valor 34% maior em relação a 2022. Além disso, uma empresa privada fez uma doação única de R$ 1 milhão ao Fussp.

Com o valor arrecadado, o Fundo Social comprará cobertores que ainda serão doados e que também serão usados no atendimento social a vítimas de situações emergenciais, como famílias afetadas por desastres naturais ou incêndios.

Para Cristiane Freitas, o aumento das doações em produtos e em dinheiro é reflexo da confiança que a sociedade tem nas instituições do Governo do Estado e na capacidade do poder público para direcionar recursos com transparência e agilidade para atender quem mais precisa.

Compra de cobertores

Dos 610 mil cobertores doados pelo Fundo Social neste ano, 133 mil itens foram adquiridos com recursos próprios do órgão estadual e distribuídos aos municípios segundo as inscrições do CadÚnico – cadastro nacional com informações sobre famílias de baixa renda existentes no país.

Doação da Receita Federal

Do total de 4,4 milhões de itens doados, estão 108 mil roupas de inverno enviadas, de forma inédita, pela Receita Federal. O Fundo Social encaminhou 64 mil peças para 458 municípios e outras 44 mil a entidades sociais da cidade de São Paulo.

A iniciativa para a doação aconteceu em abril, após reunião entre a primeira-dama do Estado e membros da Superintendência da Receita Federal. Na ocasião, o Fundo Social sugeriu a destinação de produtos apreendidos em operações fiscais para doações.

Produção de agasalhos

A campanha também ganhou reforço de empresários ligados à Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), que doaram tecidos e aviamentos para produção de agasalhos pelos alunos do curso de Costureiro Avançado da Escola de Moda do Fundo Social.

As peças estão sendo cortadas pelos detidos na Penitenciária de Tremembé, no interior do Estado, e costuradas pelas alunas do Fundo Social. Os agasalhos vão reforçar doações necessárias em situações de atendimento social emergência e na Campanha do Agasalho de 2024.

Parcerias e voluntariado

Neste ano, a campanha contou com o apoio de empresas como a Klabin, que doou 12 mil caixas de papelão ondulado para arrecadação de roupas e cobertores e a Prodesp – empresa de Tecnologia do Governo do Estado –, responsável pelo desenvolvimento do site oficial da ação.

O Fundo Social também teve a ajuda de 75 voluntários da Igreja de Jesus Cristo dos Santos nos Últimos Dias, que separaram e fizeram a triagem de itens doados pela Receita Federal.

Inverno quente

Em 2023 o Estado de São Paulo registrou um dos invernos mais quentes dos últimos anos, com ondas de calor e baixa Umidade Relativa do Ar. Segundo a Defesa Civil do Estado de São Paulo, a temperatura máxima no Estado chegou a 40ºC, na cidade de Aparecida D’Oeste em 21/09/2023, uma das maiores desde 2020, quando o município de Lins atingiu a maior temperatura histórica com 43,8ºC.

Fonte: Portal do Governo

Fim da Página